Caminhada Diocesana

    TODOS AQUI NASCEMOS!

    “Todos ali nasceram” (cf. Sl 86/87,5) –exclama o salmista olhando para a cidade santa de Jerusalém. E nós, descendo até essa pequena cidade dos arredores, chamada Belém, encontraremos o Presépio e aí poderemos contemplar o mistério de um Deus feito Homem. Perante o mistério do Natal, também nós poderemos exclamar, com espanto e gratidão: “Todos aqui nascemos”.
    Sim. Todos aqui nascemos de novo para uma vida nova. São João afirma, no seu Evangelho: “Àqueles que O receberam e acreditaram no Seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus” (Jo 1,12). Todos filhos de Deus! Deus nasceu aqui para nos fazer plenamente filhos seus.
    O Natal é a festa em que, realmente, todos podemos nascer de novo. “Enquanto adoramos o nascimento do nosso Salvador, celebramos realmente também o nosso nascimento. Efetivamente, a geração de Cristo é a origem do povo cristão; o Natal da cabeça é também o natal do Corpo. Embora cada um tenha sido chamado num momento determinado para fazer parte do povo do Senhor, e todos os filhos da Igreja sejam diversos na sucessão dos tempos, contudo, a totalidade dos fiéis, nascida na fonte do batismo, assim como foram crucificados com Cristo na sua Paixão, ressuscitados na sua Ressurreição, colocados à direita do Pai na sua Ascensão, assim também nasceram com Ele neste Natal” (SÃO LEÃO MAGNO, Sermão 6 no Natal do Senhor). Assim, entre o Natal de Jesus e o Batismo cristão há realmente uma afinidade de raiz: ambos celebram o nascimento pelo qual todos somos dados à luz como filhos de Deus.
    No Natal de Jesus, o nascimento do Deus feito Menino, inaugura o nascimento de uma nova humanidade. O Filho de Deus faz-se Homem, para que nós, seres humanos, possamos renascer como filhos de Deus. Vale a pena recordar as belas palavras de São Leão Magno: “Reconhece, cristão, a tua dignidade e, tornando-te participante da natureza divina, não pretendas voltar a cair na condição desprezível de outrora com um comportamento indigno. Recorda-te quem é a tua Cabeça e de que Corpo és membro. Recorda-te de que, arrancado ao poder das trevas, foste transferido para a luz e para o Reino de Deus”.
    Eis porque este nascimento de Jesus traz consigo o apelo batismal a renunciar à impiedade e à mundanidade do homem velho, para nos revestirmos do Homem novo. O nascimento do Filho de Deus contém a graça e o apelo a nascer de novo, tal como Jesus o anunciará, um dia, pela noite dentro, a um homem velho chamado Nicodemos (cf. Jo 1,5-7).
    O Batismo é, pois, o sacramento do nosso renascimento pela água e pelo Espírito, que Jesus anunciou a Nicodemos, como condição para nascer de novo. É ainda São Leão Magno que explica: “A fonte de vida que [o nosso Redentor]tomou no seio da Virgem, pô-la na fonte do batismo; deu à água o que tinha dado a sua Mãe: porque o poder do Altíssimo e a sombra do Espírito Santo, que fez com que Maria desse ao mundo o Salvador, fazem com que a água regenere a quem crê” (Sermão 5 no Natal do Senhor).
    O Natal está aí novamente, para nos fazer lembrar que também nós nascemos de novo e que esta dinâmica de renascimento marca o nosso caminho batismal e deve ser percorrido também neste tempo de preparação e de celebração do Natal de 2019. Porque todos aqui nascemos!

    Deixe o seu comentário

    Please enter your name.
    Please enter comment.

    Receber as novidades do Santuário
    X